Obesidade abdominal: prevenção e cuidados

A obesidade é definida como um aumento da gordura corporal, e esta percentagem de massa gorda varia amplamente, considera-se que há obesidade quando o percentual é superior a 30%.


O excesso de tecido adiposo pode ser distribuído por todo o corpo ou se concentrar especificamente em determinadas regiões, quando o excesso de gordura se acumula de forma preponderante na cavidade abdominal, falamos de obesidade abdominal ou central.


Compartilhamos com vocês uma entrevista com a nutricionista Natalia Zuluaga, que nos conta como é que podemos detectar, quais são as suas principais consequências e nos dá alguns conselhos práticos para tratá-la.


Pergunta: Como se define a obesidade abdominal?


Dr. Natalia Zuluaga: A obesidade abdominal pode ser definida como um acúmulo de gordura, principalmente na área do corpo que compreende o tórax e o abdômen e que está associada diretamente com a quantidade de tecido adiposo visceral, ou seja, aquela que estiver na parte interna das cavidades corporais e que envolve os órgãos que estão localizados nessa área.


Pergunta: Como detectar?


Dr. Natalia Zuluaga:Para detectar a obesidade abdominal se realiza a tomada de uma medida antropométrica chamada “Circunferência de cintura” que é medida no ponto médio entre a última costela e a crista iliaca na exalação, usando uma fita métrica. Para a Colômbia estabeleceu-se que o ponto de corte para diagnosticar a obesidade abdominal é ≥ 90 cm para homens e ≥ 80 cm para mulheres. Esses pontos de corte foram tomados do consenso colombiano de síndrome metabólica que, por sua vez, acolheu os critérios da Federação Internacional de Diabetes.


Pergunta: Principais causas da obesidade abdominal


Dr. Natalia Zuluaga:A obesidade abdominal, basicamente, é apresentado por estilos de vida pouco saudáveis, em que não há um equilíbrio adequado entre o consumo de calorias, nutrientes e o gasto calórico, por isso o excesso de calorias é depositado na forma de gordura no corpo, tendo em conta que há pessoas que apresentam maior tendência ao acúmulo na região abdominal (Obesidade andróide) enquanto outros acumulam-se principalmente nas pernas e quadril (obesidade ginecoide).


Pergunta: como se pode prevenir?


Dr. Natalia Zuluaga:Para prevenir a obesidade abdominal é muito importante cumprir com as características de uma alimentação saudável, que são completa, variada, equilibrada, adequada e controlada em calorias, ou seja, que inclua todos os grupos de alimentos em quantidades suficientes para suprir as necessidades diárias de calorias, macro e micronutrientes e, assim, garantir o equilíbrio entre o consumo e as necessidades nutricionais.


Pergunta: Consequências da obesidade abdominal


Dr. Natalia Zuluaga: A obesidade abdominal gera um maior risco de desenvolver outras doenças, como:



  • Doenças respiratórias devido a um distúrbio na ventilação atribuída a efeitos mecânicos da gordura sobre o diafragma e o tórax.

  • Doenças cardíacas por provocar uma fraqueza do coração como bomba, favorecer a formação de coágulos sanguíneos e o depósito de placas ateromatosas.

  • Diabetes Mellitus porque a obesidade é uma das principais causas de resistência à insulina.

  • Doenças hepáticas devido a que a gordura acumulada liberta ácidos gordos para a corrente sanguínea, aumentando a síntese de TG no fígado e o seu posterior armazenamento em excesso.

No caso específico das mulheres, há um maior risco de desenvolver doenças ginecológicas relacionadas com anormalidades menstruais, infertilidade e síndrome do ovário policístico. De igual forma foi encontrado associação da obesidade com maior prevalência de doença venosa crônica em mulheres.


Para prevenir a obesidade abdominal é muito importante cumprir com as características de uma alimentação saudável

Nutricionista Nutricionista

“A obesidade abdominal deve ser tratada como um fator de risco importante para a deterioração das condições de saúde e qualidade de vida da sociedade e que exige de manejo interdisciplinar por parte da equipe de saúde por gerar conseqüências multidimensionais do âmbito físico, fisiológico, psicológico e social. Não devemos perder de vista que é uma problemática que hoje assola não só a população adulta, mas também às nossas crianças”


A obesidade abdominal deve ser tratada como um fator de risco importante para a deterioração das condições de saúde e qualidade de vida da sociedade


Gratidão especial a Natalia Zuluaga Arroyave, Nutricionista Nutricionista.


Contato: 2657827 – Whatsapp 3016898561.


Um grupo de profissionais em diferentes áreas da saúde está à sua disposição para resolver as suas preocupações.

Fale com nossos especialistas

Este artigo está relacionado com estas categorias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *