Ações colaborativas em ambiente empresarial
ações colaborativas em ambiente empresarial

Vinícius Sittoni Brasil usou o título deste post como nome de sua exposição no evento Co-Vivência da Will Meeting School, no dia 7 de agosto. Começou falando sobre a abordagem estratégica, focada na criação de valor, a partir de processos interativos, envolvendo diferentes atores do mercado – isto é, basicamente, crowdsourcing. A co-criação deve ser uma opção estratégica, e não só uma ação de “fazer por fazer”, pois nem toda a empresa deve ou precisa se preocupar com co-criação de valor. O modelo tradicional de criação de valor deve persistir, e é importante.

Vou ao mercado, descubro o que é interessante como proposta de valor, volto à empresa e crio o produto para devolver ao mercado.

Valor compartilhado: comunicar, dialogar, interagir, compartilhar significados, lembrar ou estimular memórias, buscar uma identidade. Atuação de empresas em redes sociais na internet: a empresa que interage com grupos pode não conquistar novos clientes, mas certamente vai obter informações relevantes nesses grupos. A imagem da empresa pode ser enaltecida junto a esses grupos.

Empresas e pessoas precisam ser transparentes. Mais diálogo e mais acesso, com mais riscos. Compartilhamento de riscos. Corresponsabilidades. Quadro é menos feliz e perfeito como o pregado.

Maturidade relacional: para que haja cocriação, é necessário que haja uma maturidade no relacionamento entre empresa e clientes. Exemplo: proibição de vendas de chips de grandes operadoras; os consumidores tinham uma bagagem de ódio contra essas empresas, e por isso gritavam “até que enfim”, acreditando que as empresas mereciam a punição. A empresa tem que tratar a insatisfação, mas certamente isso não será resolvido pela co-criação. As relações precisam ter maturidade. Ninguém é obrigado a compartilhar e participar.

O quadro mostra variações possíveis nos processos de co-criação: podem ser processos internos, dentro das empresas; processos externos, que ocorrem fora da empresa; ativações internas, quando há um esforço da empresa em divulgar a ação de cocriação; e ativação externa, quando são os próprios participantes da cocriação são responsáveis pela divulgação do processo.

Nike Plus: plataforma conhecida da Nike associada à prática de corrida. Compartilhar a experiência de corrida, informações de performance. Enquanto o tênis era o principal, passa a ser só mais um a gerar valor no processos. Fiat Mio: desenvolvimento de um carro urbano atual/do futuro com premissas de problemas atuais. Dados do dia 07/08: 2.313.914 visitantes únicos, quase 18 mil comentários postados. Nikon: comunidade Nikonians.org. É talvez a maior plataforma de conhecimento sobre detalhes técnicos de uso de equipamentos da Nikon.

Que modelo de gestão pode ter co-criação? Internamente é necessária a transparência. É preciso estar preparado para fazer. Será que a sua empresa está?

No comments
Deixe um comentário

Please type the characters of this captcha image in the input box

Por gentileza, prove que é humano escrevendo o código.


Redes Sociais Todos os Artigos Comentários


RSSTwitter: chadecerebro

  • Could not connect to Twitter


Chá de Cérebro is using WP-Gravatar